A mídia atual e o Estado de Israel

Percebeu como Israel tem aparecido na mídia? De uma forma um tanto subversiva, tão subversiva quanto a criação do seu Estado exatamente no MEIO da Palestina.

Essa intenção de pacificação as avessas que a ONU teve em pleno período pós-guerra é um tanto questionável.

Para o quê você vai por um Estado no meio de outro Estado radicalmente diferente em ideologia e cultura? Podem falar que é a intenção ou tentativa de coexistência, se você acredita nessa ladainha é no mínimo muito ingênuo. O conflito estava predestinado, e a mídia põe a culpa na cultura, na religião.

Desvia os olhos das pessoas para a culpa do islamismo, tal religião que choca o mundo ocidental que ainda tem aquele olhar preguiçoso e eurocêntrico sobre esse tipo de manifestação religiosa.

A destruição civil e cultural de Israel na Palestina foi patrocinada pelos E.U.A., o líder oficial da luta contra a humanidade. Qualquer ser humano diferente do american way of life está propenso a ser destruído, e não é só isso, como se não bastasse, marginalizaram os árabes em todos os filmes hollywoodianos, também temos que marginalizar todos os muçulmanos altamente perigosos com suas pedras na mão. O inconsciente coletivo de quem assiste ficção e acredita ser realidade já foi trabalhado por anos.

Esse ataque à cidade de Jerusalém é muito questionável. Quem tem armamento nuclear em peso é Israel, abastecida com tecnologia americana de destruição em massa. E os noticiários atentam ao ataque a Israel, quando a Palestina sofreu ataques dos mais múltiplos esse tempo todo.

O que me deixa verdadeiramente enojada é a falta de compromisso com os fatos que o jornalismo se dá, o jornalismo para a massa. Em persuadir completamente a opinião alheia a que Israel está lutando por um Estado e não que simplesmente expulsou todos os Palestinos de suas casas para ocupa-las simplesmente como bem entendiam e queriam. Ser expulso da sua própria casa, em prol de outra nação, muito justo, uma causa tão humana para uns e desumana para outros e o mundo aplaudiu o nascimento do Estado de Israel e leem livros que ressaltam essa falta de ética extremada.

E os árabes são a piada do casseta e planeta e afins. Até quando vão rir disso?

Pois a reflexão é bem mais difícil do que simplesmente criar uma piada que qualquer imbecil faria. A reflexão exige um verdadeiro trabalho mental.

Essa reflexão coloca em cheque essa necessidade de violência da mídia, onde apoiam fervorosamente a morte de todos ao árabes como politicamente correto, a falta de inteligência dessas pessoas chegam a ser assustadora, e o pior, nem sequer posso considera-la animalesca pois os animais irracionais não se auto destroem tanto quanto os seres humanos.

Pior de tudo é acreditar que a resistência é terrorismo, que o suicídio é terrorismo e que tudo isso é em “nome de Allah” e não um ato desesperado. Não posso parar o Estado de Israel com palavras, mas posso por um pouco de lucidez sobre a situação verdadeira.

Como diria Baudelaire, o verdadeiro desprendimento social não é ser artista, o artista pode ser tão preso a padrões sociais quanto um empregado qualquer. É o ‘homem do mundo’, aquele que compreende a situação de uma forma global e não paralisada nos seus velhos preceitos e nas verdades “absolutas” de sua comunidade.

Um vídeo de apenas 50 minutos para se refletir um pouco sobre a questão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s