Na Moral, volta pro “Filtro Solar” Pedro Bial

Por dias estou com essa sensação ruim. A sensação que tem mais um programa que vai tornar todos os assuntos que são do meu, do seu, do interesse de todos os indivíduos que pensam “logo existem” como brincadeira, “boas sacadas”, a grande inteligência, intelecto de Pedro Bial que está à frente de temas “altamente polêmicos” (quase uma chamada para a sessão da tarde).

 

 

É o cúmulo da babaquice, um cara que viu um estupro debaixo do nariz dele e falou “Aah o amor é lindo” abordar o tema estupro com “toda seriedade do mundo”?

 

Isso sim é um insulto à inteligência.

Talvez seja a forma daquele completo imbecil se redimir.

Engraçado que a Globo tem se mostrado completamente contra estupro depois de todo furacão provocado pelo BBB e esse assunto. A Xuxa admitiu ser estuprada, o Bial faz um programa no qual no primeiro episódio da sua infeliz criação ele aborda o tema, curioso isso, mas, por acaso ou coincidência não é.

 

 

Decepcionante como sempre, mostram relatos emocionantes de chocar os telespectadores, mas, não causar nada além do choque. Não causam indignação, apenas informam, não buscam por a cabeça das pessoas a pensar sobre o assunto, moldam o pensamento da forma certinha que se encaixe nas cabeças vazias. Manipulam os pensamentos. Não dão espaço para discutir a opinião, dão a opinião pronta para quem assiste. É quase uma lavagem cerebral.

 

Não criam uma roda de discussão, criam um discurso contínuo sobre o assunto com apenas palavras diferentes, de pessoas diferentes.

 

E pior, fazem esse trocadilho cretino de “na moral”, por se tratar de um programa que comenta sobre assuntos que caem no discurso da moralidade. Genial Bial, como seu discurso do Filtro Solar, uma bela porcaria, que vai só reafirmar os valores e “bons costumes da família patriarcal”, e claro, da burguesia que está correndo o grande perigo em sociedade de acabar com uma insolação.

 

Quanta picuinha com discurso de mudar a sociedade.

 

Porque não é só saindo pelas ruas lutando contra questões como o estupro, por exemplo, que você está se manifestando contra, muitas vezes, isso pode acontecer perto de você, como perto de qualquer um, e se você tiver uma reação nos eixos sobre o assunto, isso é lutar contra o estupro. A começar por você não culpar a vítima, mas, também não se contentar em apenas vitimar a pessoa e não fazer absolutamente nada além de ter “dó”.

 

Essas questões todas são muito interessantes quando estamos instruídos pela questão do dia a dia. Mudar a sua postura é estar preparado para qualquer situação como essa, e principalmente, não aceitar isso como algo normal.

 

Fazer o discurso do contra é fácil, dizer que você acha uma violência tremenda é muito fácil. É fácil ser Pedro Bial, mostrar sua inteligentíssima opinião sobre o assunto, mas quando teve que lidar com ele de frente, fingiu que não viu.

 

É essa a armadilha imposta por esses programinhas ridículos da Rede Globo, eles dão essa ideia de que  ter uma opinião sobre o assunto é tudo. Ter uma postura sobre o assunto, sim, faz toda a diferença.

 

Por que a Globo?

Porque é a rede de televisão mais influente do país, as demais não passam de uma tentativa de ser globo. Exceto duas exceções: o SBT que tem aquele formato bizarro de querer imitar redes de televisão internacionais e quase sempre é um fiasco. E a Cultura, que é a única rede nacional de televisão propriamente culta, como diz o nome, que com certeza é a única que tem suporte para um tema desses. Porém a linguagem da cultura, não é para a classe c, nem para a burguesia, nem para a pobreza, é para quem lê, quem procura se informar, quem estuda, independente da classe social.

 

Eu até podia fazer o discurso, se ver o programa do Bial, desliga a TV e vá ler um livro. Mas é inútil, e se esse livro for um livro imbecil de auto-ajuda de “10 formas para algo”? Se for mais um dos guias de como ser mais manipulado ainda? Essa fantasia que se fez que o livro tivesse um conteúdo “sagradamente culto” é falsa.

Tem muito livro ruim.

 

Eu diria desliga a TV, e pense, sobre tudo, ou sobre nada, que com certeza será mais produtivo, inclusive pro processo criativo.

Anúncios

Um pensamento sobre “Na Moral, volta pro “Filtro Solar” Pedro Bial

  1. Concordo com você, esse programa é uma bela duma bosta e o Pedro Bial é um hipócrita nojento.

    O depoimento da Xuxa, eu achei muito corajoso, emocionante e importante, não acho que tenha alguma conexão com o que aconteceu (talvez a Globo ter escolhido não cortar essa parte do depoimento pode ter algo a ver, mas nem tinha pensado nisso…)

    Mas bem, Pedro Bial. Além do caso do abuso que teve no último BBB, provavelmente você não ficou sabendo desse outro caso, não teve muita repercussão e foi rapidamente esquecido, em um certo BBB, o Akon estava no Brasil e foi fazer um show para os brothers lá dentro, Uma das participantes (nem assisti essa edição, mas lembro que o nome dela era Lia), estava dançando sensualmente durante o show e o Akon foi lá e simplesmente encoxou a menina! Eu não assisti a cena, e sinceramente, nem procurei no youtube pra não me indignar mais. Mas só sei que, pelo que fiquei sabendo depois, ela ficou com muita raiva e teve uma reação forte. Daí (isso eu assisti), no programa seguinte à isso, na hora de falar ao vivo com os participantes, o Bial poeta, intelectualóide e sensível, ficou tentando defender o Akon, tentando convencer a menina de que ela não tinha nada que ter ficado com raiva ou reagido, dizendo coisas como: “ele viu você lá toda gata e brasileira, rebolando desse jeito, queria que ele tivesse feito o que?” Fiquei com asco, é sério, vontade de vomitar.

    Pois bem, esse programa é tão hipócrita quanto o apresentador, o primeiro programa, que teve racismo como tema principal, já deu uma mostra do que esse programa é e será. Um programa disfarçado de liberal e inovador, com um discurso disfarçado de debate, quando na verdade só faz por revalidar conceitos e preconceitos que aliviam a culpa do telespectador, sobretudo o telespectador classe média branco homem heterossexual. É muito fácil falar que, quando um grupo opressor faz piada com o oprimido, está sendo politicamente incorreto e não tem problema nenhum nisso, mas quando o oprimido ou seus representantes se acham no direito de se sentirem ofendidos e revidar, falar que os mesmos estão sendo politicamente corretos e ditadores.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s