As greves, a marcha das vadias e a falta do saber o que falar sobre.

Antes de vir com discurso moralista falando que é uma vergonha ter greve nos setores públicos, marcha das vadias, eu já digo. Para mim, é uma vergonha ter alguém como você que além de não fazer nada pela sociedade condena quem tentar fazer.

Temos que tomar cuidado com o que a mídia nos proporciona, um olhar sobre as situações que se não tivermos um posicionamento crítico podemos distorcer completamente a questão.

Muito se fala atualmente das greves dos meios de transporte e da Marcha das Vadias.

Vamos por os temas acima na mesa, sem muita cerimônia.

Mas antes, apenas um aviso, cuidado com essas imagens de facebook, algumas são um verdadeiro atentado à inteligência.

Não compartilhem qualquer coisa que vocês veem por ai pois é a sua foto, com o seu nome e o seu perfil que estarão lá colocando uma ideia imposta como SUA ideia. Não tenha medo de perguntar sobre o assunto.

Falamos brincando que o dicionário (e hoje em dia o Google) é o “pai dos burros”, pois você admite não saber sobre determinado assunto e busca entender ele. Para mim o pai dos burros é a teimosia em permanecer leigo.

A Marcha das Vadias

A não ser que você nunca na sua vida tenha lido uma metáfora ou insiste em ser burro mesmo, mas o nome da marcha é uma analogia a falsa moralidade que a nossa sociedade vive.

Onde a mulher que quer ter um orgasmo é considerada vadia. Onde a mulher que diz “não”, na verdade quer dizer “sim”. Gente, não é não. Não sempre quer dizer não. Pode procurar no dicionário (mesmo o online), o significado de não é sempre uma negação.

Portanto a marcha das vadias é para tirar essa falsa moralidade católica imposta, no mínimo ridícula, pela sociedade. Sabemos que esse falso moralismo gera violência, desprezo, preconceito. “Mulher de verdade se veste assim, não como piriguete”, mulher de verdade não tá preocupada em julgar ninguém moralmente. Mulher de verdade busca seus direitos e não vetar os direitos das outras.

Se você é mulher e acha que o feminismo é um exagero, vou repetir a frase das feministas do vídeo abaixo. Você devia beijar a mão das feministas, pois sem elas você não faria uma faculdade, nem usaria uma saia mais curta no sábado, sexo esporádico então nem pensar, votar, coisa de homem.

E ainda as pessoas iam encarar o crime de um homem que mata a mulher porque ela o traiu como “amor”, “é porque ele ama ela”. Isso não é amor.

Têm mais, as feministas estão também lutando por você, dona de casa. Você que segundo a sociedade é invisível, é um ninguém. Estão lutando por uma renda mínima para quem se dedica a tarefas domésticas, ninguém vai ganhar o mesmo salário de quem trabalha. Porém já passou da hora de reconhecer o papel da mãe que ensina os filhos a se comunicarem, que mantém a ordem debaixo do teto e se passa por invisível na sociedade.

As greves dos transportes e dos professores

É um absurdo essas greves, elas vem do nada e atrapalham tudo.

É um absurdo maior ainda você pensar dessa forma, principalmente quando se trata de algo que a muito tempo está em pauta, nenhuma greve surge do nada.

É preciso muitas tentativas de acordo frustradas para explodir uma greve.

Não sei o que se passa pela cabeça de alguns, se eles pensam que as pessoas acordam em um belo dia e resolvem por telepatia todos fazer greve. #sarcasmo

E a greve é na intenção de parar tudo, a questão não são os governantes, as pessoas tem essa falsa ideia que é para atingir os governantes, mas, não, a greve é para atingir as pessoas.

Essas pessoas que estão tão envolvidas nos seus egoísmos que precisam de um furacão desses para ai sim pressionar seus governantes para uma mudança.

Uma classe só não consegue nada.

É preciso cutucar no bolso das iniciativas privadas para o choque ser realmente grande, porque nesse mundo de terceirização que vivemos são as iniciativas privadas que alimentam o Estado, só quando elas quebram que acontece o oposto.

Então, que liberem a passagem, façam tudo de graça. Não, pois fazendo de graça a máquina da burocracia continua girando, as pessoas não sentirão o choque, muito pelo contrário, vão achar lindo e não vão reivindicar uma mudança. Sem contar que os próprios cidadãos que irão pagar por essa liberação.

A questão da greve é de parar. Não param para nos ouvir, para nossas necessidades, então paramos vocês forçadamente. Essas greves fazem as pessoas lembrar que ainda sim o funcionário público por mais desvalorizado que esteja faz estardalhaço, que ainda precisam tanto do setor público quanto se pensa.

É como um grande relógio, onde uma das peças simplesmente para. Todas as outras se desalinham. Liberar a passagem é trabalhar de graça, a questão é justamente essa, o trabalho, portanto paramos ele até ter melhoras, ou então não faz sentido.

Acho lindo o povo compartilhando mensagens sobre respeito ao professor, e ao mesmo tempo indignado com a greve. Ué, você não foi atrás de uma mudança para os professores, então não reclame da greve. A greve é sempre a forma mais desesperada e drástica de mudança.

A verdade é muito simples, mas bem mais simples do que se imagina. As pessoas nunca se importam até que pegam e cutucam “o seu”.

Não quer greves, nem marcha, nem nada do tipo, então se mova. A corrupção é quem gera todas essas greves, pois a desunião da classe trabalhadora seja do setor que for que faz essa questão ter que ser tão drástica.

A questão é, dificilmente as pessoas reconhecem algo até se darem conta que estão sem.

Anúncios

21 pensamentos sobre “As greves, a marcha das vadias e a falta do saber o que falar sobre.

  1. Me chamou a atenção pela marcha. No final das contas, li tudo.

    Tenho falado na Marcha no facebook até o esgotamento para ver se entra na cabeça de algumas pessoas que essa luta é de todo mundo. Que enquanto nós mulheres continuamos incentivando o machismo, a violência e a opressão através de imagens como a em que dizia que as mulheres ao dizerem sim estão querendo dizer não, dentre outros absurdos, 1 mulher em cada 15 minutos é violentada no Brasil.

    “E a greve é na intenção de parar tudo, a questão não são os governantes, as pessoas tem essa falsa ideia que é para atingir os governantes, mas, não, a greve é para atingir as pessoas.

    Essas pessoas que estão tão envolvidas nos seus egoísmos que precisam de um furacão desses para ai sim pressionar seus governantes para uma mudança.

    Uma classe só não consegue nada.”
    Esse trecho, em particular, diz exatamente o que eu vinha repetindo a algumas pessoas que criticavam a greve dos rodoviários daqui de Salvador. O nosso mal é pensar apenas em nós mesmos. Por isso nada caminha nesse país. “Uma classe só não consegue nada.” Toda e qualquer luta é de todos.

    Ótimo texto, Mariana.

    • Obrigada 😀 não pude deixar de notar que você participou ativamente da marcha em Salvador, pois tudo que vejo referente a isso também clico e “fuço”. Gostei muito da sua iniciativa, ir as ruas ainda é a forma de ganhar mais proporções. Enfim, fico feliz com o elogio, pois coloquei dois temas um tanto complicados e “mal explicados”, a chance de perder a coerência tava grande, mas enfim, o essencial era meu objetivo.

      • Vou passar a acompanhar teu blog. Não só porque gosto de causar (como vc deve se lembrar hahahahahaha), mas porque gostei da proposta e do texto.

    • fico lisonjeada hauhauha, eu tenho arranjado uns inimigos anônimos, mas eu tô seguindo em frente. Apareça sempre que puder, sua opinião é sempre interessante (também lembro disso hauah)

  2. Esse é o problema, você generaliza a critica e cria um espantalho para refuta-la. Isso é um grande problema. Primeiro, a Marcha das Vadias surge como um movimento especifico de reação a uma frase de um representante do Estado, que recomendou que as mulheres não se vestissem como vagabundas para evitar estupros. Qualquer pessoa sensata reconhece o absurdo da frase. Só que no Brasil essa frase não faz o menor sentido, pois normalmente e a um bom tempo a mulher anda por ai em trajes sumários. A critica é quanto ao movimento que reivindica APROVAÇÃO SOCIAL de uma conduta. A grande verdade é que algumas mulheres querem ser “vadias” e ainda gozarem do aplauso da sociedade. Independência seria aceitar viver com as consequências de suas ações e o impacto delas nos seus relacionamentos.

    • Não posso fazer nada se elas querem gozar de uma vida de prazeres e não passar roupa e ser donas de casas, até porque eu quero também viver assim. Seu problema é mental, dei o aviso antes do post, pelo visto não leu. E como você se contrariou, deu um ênfase social pra causa e falou por fim que era por um prazer privado, afinal, o social é da porta pra fora. Católicos, tsc…

      • Quem obriga a mulher a ser dona de casa? Muitas casam, são Católicas e nem isso fazem. Quem impede da mulher ter uma vida de prazeres? No Brasil? Pff.
        Quem já te impediu de fazer sexo na vida adulta? Quem te ameaçou fisicamente por você fazer sexo com quem você quisesse? O problema é que você quer fazer o que quiser, e ainda sim buscar aprovação da sociedade. Esse é o problema, você quer eliminar o julgamento da esfera dos relacionamentos humanos. O Julgamento dos outros quanto a você, não o seu julgamento quanto aos outros. Você não consegue aceitar que um homem possa ter a decisão e achar que não deva se casar com uma “Vagabunda” por exemplo. Você não consegue aceitar que algumas mulheres julguem negativamente uma mulher promiscua, ou que certos homens não se sintam a vontade se relacionando com uma. Ou seja, o seu problema não é quanto ao que as Vadias podem fazer, pois nada impede atualmente que elas sejam vadias e ajam da forma que julguem convenientes, mas o problema é lidar com o fato da liberdade alheia de opiniões, gostos e desgostos.

    • A não ser que se comprove que no Brasil mulheres são estupradas(de forma estatisticamente relevante) por motivação machista e relativa a conduta da vitima , o que não é verdade, o movimento perde fundamentação. Esse é o problema, o movimento se torna no Brasil um simples palco para attentionwhore cobrar aplauso da sociedade. Ninguem está aqui julgando sua vida sexual e intima, desde que você não saia por ai alardeando ela, só as pessoas que você escolhe irão participar e compartilhar dela, então não vejo o porque da necessidade de querer mudar a força a mentalidade das pessoas. Quanto a questão da greve, é o caso do Boneco de Palha. Ninguém é idiota de condenar que as greves existam, o problema da greve em São Paulo nos metrôs é um único: Ela não parte da real vontade e necessidade dos trabalhadores, mas sim de um orquestramento partidário e politico visando prejudicar a imagem dos seus adversários. Por isso que a Greve foi criticada.

      • Já comprovaram por mim, pode ficar tranquilo, sociólogos, psicólogos, até historiadores. Ofendi sua moralidade católica, que PECADO.

    • Viu? Você ridiculariza e se mostra agressiva a quem não pensa segundo sua moral. O que você tem de melhor? Você é tão intolerante e adversa a diferença como qualquer um. Eu não estou aqui colocando o dedo na sua cara e reclamando da sua conduta sexual. Eu simplesmente estou aqui respondendo ao seu comentário negativo quanto a reação(talvez inclusive a minha) que algumas pessoas tiveram a marcha das vadias.

  3. Minha moralidade nada, eu já falei que não estou reclamando do que você faz na sua vida. Quem foi de peito de fora invadir Igreja? Marcha das Vadias.
    A questão é: A maior parte dos casos de Estupro no Brasil são os de casais, onde o homem estupra a parceira que não quer ter sexo ou que acabou o relacionamento, ataques de estupradores que aproveitam de oportunidade aleatória e não planejada de atacar a vitima em lugares ermos e criminosos que estupram a vitima durante outra prática criminosa como sequestro e assalto. Na maior parte dos casos de estupro, a mulher está se vestindo normalmente.
    E quanto aos estudos, seria legal você anexar com o artigo os estudos que comprovem essa afirmação no Brasil.

    E outra, da mesma forma que você não tolera ou encara negativamente a moral “Católica” e as pessoas que dela compartilham, porque diabos você quer que essas pessoas sejam obrigadas a encarar positivamente a sua moral?

      • Bom, já que você não aguentou nem 5 minutos pra partir pra ofensa… nem tem o que falar. Boa noite, e espero que você esteja realizando seus sonhos sexuais e curtindo toda a sua liberdade de dar mais do que chuchu na serra. Só peço que você respeite a liberdade sexual da maioria dos homens que talvez prefiram aproveitar só o sexo, e deixar aquela parada burguesa e boboca de monogamia, fidelidade e casamento só para as não vagabundas. De qualquer forma, se você não acredita em moral, provavelmente não acredita em honestidade. Se você não acredita em honestidade, com certeza não vai acreditar em verdade, e se você não acredita em verdade você é capaz das maiores mentiras, manipulações, auto-enganações e desonestidades intelectuais possiveis para defender ou refutar o que quer que for do seu interesse. Ou seja, a simples discussão já surge perdida.

        E eu queria entender quais são as reivindicações da marcha, já que no Brasil o estupro é um crime hediondo, de penalidade equivalente ao homicidio, e que é punido pelo sistema penal e pelos proprios presidiarios que estupram e perseguem estupradores dentro da cadeia.
        A única coisa possivel para reivindicação é a aceitação e o aplauso da sociedade, o que é ridiculo.

  4. Vim apenas ler e texto, mas não consegui não me envolver com os comentários… rs
    Não é necessariamente uma crítica, só uma observação: como você sempre escreve diretamente para os ofendidos, eu, que concordo com você, acabo me sentindo acusado de vez em quando. Sabe quando chamam o Chaves de “LADRÃO”!? Então… É uma sensação estranha. Sorte que temos o senso de humor, diferente deste abutre (e anônimo, obviamente) aí dos comentários…
    Mais uma vez, excelente texto, parabéns!

    • Realmente, lendo esse texto eu percebo todo o senso de humor e tolerância com a opinião contrária. Peço desculpa por não ter percebido a cordialidade subliminar usada no texto.

      • Eu, integrante e membro do coletivo da Marcha das Vadias de Salvador posso te afirmar que o movimento surgiu em resposta a um comentário machista e sem cabimento de um policial canadense, mas que o movimento tomou uma proporção muito maior. Lutamos por direitos, por liberdade e por respeito.
        O meu decote e o meu short curte não te dá o direito de me chamar de vadia. Queremos, sim, o aplauso da sociedade. Porque isso é tão absurdo? Porque vocês homens podem sair sem camisa e ficar com 10 garotas numa festa e isso ser encarado com bons olhos e o contrário não?
        Ninguém aqui tem que aceitar a sua visão de mundo, bem como você também não tem que aceitar a nossa. Portanto, se a autora do blog (pois vale lembrar que isso aqui tem um dono com opiniões próprias e que pode ou não aceitar críticas) é impassível, você também o está sendo. Pronto! Continuemos assim. Deixe que ela tente mudar a cabeça de quem realmente quer ver além da linha do horizonte.

  5. Quem te falou que um homem pode fazer isso e ser bem visto? A maior parte da população vai achar ridiculo o homem sair por ai sem camisa se exibindo. Quem disse que é encarado com bons olhos o sujeito sair e ficar com 10 garotas? Um sujeito que sai por ai alardeando essa atitude, com certeza absoluta, vai ser mal visto. Ele pode falar no circulo de amigos babacas deles, mas a maior parte das garotas não vão querer se relacionar seriamente com um “galinha”. No caso o movimento carece de uma motivação realmente politica, porque não reivindica nenhuma resposta politica do Estado ou de aquisição de Direito que já não esteja garantido. Quem atenta contra a liberdade da mulher se vestir assim ou assado? Hoje eu fui ao tribunal entregar alguns processos, e na entrada do tribunal encontrei uma servidora que se vestia da forma mais “vadia’ possivel, decote enorme, calça de plastico(não sei o nome) colada e um salto enorme, isso para trabalhar em um tribunal. Quem disse que ela é de alguma forma impedida de se vestir assim?

  6. Olá, olá!

    Acompanho o seu blog de astrologia mas digamos que esses temas “polêmicos” me interessam bastante.

    Concordo com o comentário da Bruna e também fico me perguntando “Porque […] homens podem sair sem camisa e ficar com 10 garotas numa festa e isso ser encarado com bons olhos e o contrário não?”. Concordo inteiramente com o movimento feminista mas, pelo menos aqui na minha região, existem muitas mulheres “machistas”, que concordam com esses argumentos moralistas usados contra elas mesmas. Veja bem o caso do “homem que se exibe sem camisa e galinha”. Isso, na mente de uma grande parte das mulheres, é uma coisa totalmente normal. Esse homem é considerado sensual, o típico “pegador”, aquele que quase todas querem ou já “pegaram”. Mas, o mais estranho, uma garota que veste trajes curtos, e também não tem, digamos, “moderação” na quantidade de pessoas que ela “pega” é vista com maus olhos pela sociedade. Não são os mesmos comportamentos, as mesmas atitudes? Uma VAGINA faz tanta diferença assim no julgamento do que é certo e do que é errado? Se o homem pode e é vangloriado, por que a mulher não pode e é repudiada?

    Às vezes acho que isso não passa de inveja alheia rs. Vejo que, na maioria das vezes, as críticas vêm de garotas que não tem uma vida amorosa e sexual muito, digamos, “movimentada”.

    Mas, divagações à parte, o que importa é a igualdade. Sou homossexual e, como tal, sei como é ter o comportamento questionado o tempo todo. Nós, os homossexuais, e as feministas, combatemos o mesmo mal, no final das contas: o machismo! Temos mais é que nos unirmos e lutarmos por DIREITOS e DEVERES “REALMENTE” IGUAIS!

    P.S: Os gays também são vadias http://blogay.blogfolha.uol.com.br/2012/05/26/os-gays-tambem-sao-vadias/

    • Maria, não conheço o pessoal que participa da marcha das vadias em si, mas tenho uma amiga minha que é ativista na Bahia, caso lhe interessar, que também é da sua cidade inclusive, irei falar com ela…caso lhe interessar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s