Cultura Popular: Novelas

Diferente do que alguns podem imaginar, não vou falar mal das novelas.

As telenovelas são uma espécie de apego, ódio, paixão, vício, entre outros, do Brasil. E não só do Brasil como em muitos outros países do mundo, novelas são acompanhadas fielmente pelos seus telespectadores.

As novelas tecem uma teia fantasiosa de personagens que atores vivem. Os atores estão apenas contracenando, sendo bom ou não, concordando ou não. E é bom deixar bem clara essa ideia de ficção.

Sempre que um autor dizer que quer mostrar a realidade de uma situação se torna um paradoxo bem irritante.

Os cariocas segundo alguns autores são pessoas que vivem em apenas três regiões: Copacabana, Ipanema, Leblon. Assim até eu queria ser carioca né, porque a vida não tá fácil pra ninguém.

 

 

De qualquer forma, creio eu que isso que cerca o autor seja mesmo na cabeça dele a realidade, a realidade da elite.

Acho curioso porque os pobres das novelas se sentem pobres e no cotidiano não é assim. Tem muito pobre que se acha classe média, classe média que se acha pobre.

Tem muito brasileiro que se acha americano, moreno que se vê loiro, magro que se vê gordo, essa identidade definidinha das novelas é a parte mais forte da ficção.

Porém é natural que a ficção se misture com a realidade pelo seguinte motivo: o ator está contracenando, mas o telespectador que está assistindo, e chorando, ficando irritado está vivendo aquilo.

 

 

Como ele está vivendo? A emoção que ele sente é real.

A ficção não é uma atuação, mas a emoção do telespectador sim. E quando atingimos esse universo emocional e íntimo das pessoas é quando a novela pode exercer um papel estrondoso.

Por que afinal as pessoas saíram comprando roupas e artefatos indianos na época do caminho das índias, porque isso tem total relação da identificação emocional delas com os personagens. O ator que é profissional vai saber separar isso, o telespectador não.

Para o ator, está bem clara a separação, afinal ele tem que ser profissional em interpretar. Para quem assiste, analisamos a situação vista a partir da nossa visão, percepção, e isso incluí muitos universos da nossa mente, tais como: memórias, teorias, preceitos, conceitos.

Então para quem assiste vai mais ao íntimo do que se imagina. Portanto se alguém começou a ler o post imaginando que eu fosse detonar as novelas como fiz no anterior (sobre sertanejo e funk) se enganou. Eu honestamente não acompanho novelas, mas eu acredito que seja um meio de entretenimento que realmente é muito hipnotizante para quem vê, acaba uma hora ou outra sendo muito pessoal.

 

 

O único problema está pela manipulação do pensamento. Mas a questão é se aparecer um personagem machista em uma novela, os machistas vão adorar, mas quem tem um senso crítico maior não. Por isso eu digo que a novela se torna bem mais pessoal do que de fato influencia.

É mais o nosso esclarecimento que torna a novela algo para nós do que o oposto.

Das culturas populares acredito que essa seja a mais agressiva com a mente das pessoas, mas ao mesmo tempo, uma das que eu menos vejo reais problemas.

Para mim, um filme como tropa de elite é bem mais idiota do que uma novela que todo mundo julga por manipuladora.

Tropa de elite dá aquele conceito de “temos que espancar todos os bandidos”, diferente do cidade dos homens que mostra que não é bem uma opção a marginalidade, é uma coisa imposta pela sociedade.

E ainda sim é uma dos favoritos do povo.

Esse post está para por “panos quentes” com um posterior que falarei de falta de identidade que as pessoas tem com a sua própria situação e imagem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s