Ditados populares – minha crítica semanal sobre eles.

Engana-se quem pensa que o ditado popular e toda a cultura de “massa” surgiu com o capitalismo.

O ditado popular vem desde os tempos a.C. da Grécia e é uma prática humana acreditar que um ditado é uma verdade.

Vou me permitir questionar alguns, com a minha mera ignorância, observo que alguns ditados são tão repetidos e na realidade, nenhum deles funciona.

Todo esse universo ligado a “moral” (nesse caso, a lição de moral) é mesmo brochante. 

Se for parar pra pensar, nada disso funciona e as pessoas repetem como palavras sábias, palavras que  nunca se tornam atitudes. E se viram atitudes, são as mais idiotas possíveis.

Antes tarde do que nunca

E no caso de ser assaltado, pegar um câncer, aids? Antes nunca do que tarde?

Esse é o mesmo esquema do “o que tarda não falha”, tipos de ditados para as pessoas se conformarem com a sua vidinha e esperarem por um milagre sobre as suas situações.

Tipo sua aposentadoria demorou 15 anos pra acontecer? “Antes tarde do que nunca!”, é ou não é pra socar o ser que fala isso?

Antes crítico do que fantoche, eu já penso assim.

A verdade gera ódio

Claro, até porque a mentira gera manipulados, conformados, palhaços.

Ai pensando por essa lógica me remete a tempos medievais onde a mentira era uma prática religiosa, devia ter até uma religião “mentirismo”. Até hoje mentir é um ótimo meio de roubar. A verdade dói? Dói pra quem merece.

Dói pra quem acredita em perfeição. E a verdade é muito relativa também, o mesmo ser que acredita em perfeição vai tornar essa verdade uma crítica ao perfeccionismo barato dele.

A verdade sempre será melhor do que a mentira e não tem “sabedoria popular” que mude isso.

A palavra é de prata. O silêncio é de ouro.

Essa cultura do silêncio e do conformismo impera nos ditados populares.

Claro, se você estiver a ponto de explodir, sendo injustiçado, e tudo mais, deve ficar em silêncio #sarcasmo

Isso é meio o silêncio dos inocentes. Não me lembro bem de quem era a frase, mas é bem isso, o problema não é a opressão dos ruins mas  o silêncio dos bons.

Permanece em silêncio que nem prata você terá. Os seus direitos são exigidos primeiro por você, não tem como saber o que se passa por dentro de você se você não falar. Imagina esse ditado popular para um terapeuta ou psicólogo? O silêncio nunca vai dizer nada, parem de pensar que o silêncio diz muito mais que a palavra porque não diz. O silêncio é o silêncio gente, não muda.

Azar no jogo, sorte no amor.

Então tá todo mundo fodido né? Ou todo mundo vai ficar rico ganhando na mega sena. Porque até onde eu sei a maioria das pessoas estão com azar nos dois (hahahahaha). Olha, é o seguinte, não vai ter uma ressaca em Las Vegas hein, porque além de ficar com o coração quebrado a sua conta também quebra.

Contra os fatos não há argumentos

Esse talvez seja um dos mais ridículos. Depende do fato né. Novamente um ditado da cultura do “se cale para o mundo”. As pessoas querem mesmo calar as outras né, parece um verdadeiro perigo você ter a fala. Imagino que esses ditados surgiram diante de pessoas com o dom da oratória ou da retórica. Não há fato que cale um bom argumento.

Dinheiro não traz felicidade

Claro que não, imagina que gostoso deve ser morar embaixo de uma ponte e viver de esmola. Oh wait, esmola é dinheiro, ok, viver de brisa.

O dinheiro certamente não é a própria felicidade mas o dinheiro é necessário nessa sociedade capitalista que vivemos, sem o dinheiro você morre de fome, não tem onde morar, não tem o que é básico para a sobrevivência.

O dinheiro pode não trazer felicidade para um Guepardo, mas o ser humano em tempos de capitalismo selvagem necessita dele.

Diga me com quem tu andas, que lhe direi quem és

Ditado mais elitizado acredito que não tem.

Diga-me se usa vermelho, que direi que es nobre (se fosse antes dos tempos contemporâneos), é basicamente isso, um ditado elitista e no mínimo preconceituoso.

É claro que o ser humano acaba buscando seus semelhantes, mas isso é automático e não uma questão de selecionar.

Até porque, é justamente por essa ideologia que existem pessoas que são invisíveis na sociedade, uma pena pois nenhum ser humano devia receber esse tipo de tratamento cruel, é como uma pena de silêncio na era medieval em pleno século XXI, é desumano.

De boas intenções o inferno está cheio

De moralismo também.

Você continua acreditando em ditados populares? Calma que toda semana eu vou descer o verbo sobre alguns.

Anúncios

3 pensamentos sobre “Ditados populares – minha crítica semanal sobre eles.

  1. É, concordo que usar ditados populares numa conversação é meio que uma declaração de “não sou capaz de tecer uma sentença de minha lavra sobre o assunto, então vou apelar para um ditado”. Mas ao mesmo tempo, os ditados, assim como expressões idiomáticas, foram criados para serem usados em determinadas situações e é o bom senso que deveria especificar seu uso. Como a maioria das pessoas não pensa sobre eles ou squere tem bom senso, fica realmente chato ficar escutando eles em situações onde a relação não se encaixa muito bem. Por exemplo, “Contra os fatos, não há argumentos.” poderia muito bem servir em um discurso de um promotor provando a culpa do réu. Claro que o advogado de defesa pode argumentar a bobagem que ele quiser, mas sendo um fato a culpa do réu, não há argumento que o livre e acho que essa é a ideia do ditado, que argumentos não mudam os fatos. Claro, estou falando de um reú sendo julgado em um país civilizado. Aqui no Brasil, por mais contundentes que sejam os fatos, os argumentos valem mais que os fatos se o reú for branco e de classe média para cima.
    Da mesma forma funciona o “Antes tarde do que nunca.” Também foi criado para situações de alívio, onde uma resolução ou pessoa necessária se apresenta atrasada, mas ainda assim, aparece. Não acredito que ele tenha sido criado para ser usado para desgraças ou tragédias.
    Eu podia discutir os outros, mas tô com sono. Quem sabe no bate papo uma hora dessas 😉
    Beijo.

  2. o problema do ditado popular é que ele cria uma verdade absoluta que não existe, não disse que eles não podem se encaixar nas situações, mas eles não se encaixam em TODAS situações, isso que quis dizer.

    Sem contar que tem uma porrada de ditados populares machistas e preconceituosos por ai, isso me irrita num tanto ahuahuahuahu
    Então eu malho mesmo, detesto sabedoria popular.

  3. Sim, concordo, tá cheio de ditados trouxas e burros por aí. E uma vez eu tive um colega irritante que vivia falando eles. Ficava todo mundo puto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s