Eu tenho uma teoria: “Está chegando a sexta”

Tá tão trash viver ultimamente que parece que a vida de todos gira em torno do final de semana. E eu não estou me excluindo disso.

Embora a grande produtividade da nossa vida seja feita durante a semana, durante a semana você assume um post, um cargo, um papel, ou dois ou três.

Você é empregado, aluno, filho, mãe, pai, namorado(a), marido/esposa, você tem suas obrigações com mais intensidade durante a semana, não que no final de semana você deixa de ser filho e esses laços afetivos, mas certamente a liberdade é maior.

Acontece no final de semana o que todos esperam, fugir um pouco desses papéis rotineiros, a gente pode tentar ser o que somos, e ainda sim dependendo do que você faz até no final de semana você tem que assumir papéis (como é o meu caso).

Viver em função de ser algo que os outros esperam certamente é a causa da frustração das pessoas, a gente é obrigado a trabalhar. Ou morremos de fome.

Então não vem de uma ideia voluntária, nem prazerosa, tudo que é obrigação acaba sendo brochante falando de forma declarada.

O ser humano tem impulsos ambiciosos de se sentir especial no que faz, mas com a burocracia que vivemos que a todo momento você é substituível, também é praticamente uma missão impossível se sentir importante no que faz.

Então na sagrada sexta feira, esse dia que nos libertamos depois de um determinado horário de tudo isso podemos fazemos o que? Fugimos do que somos novamente. Nos chapamos de drogas, sejam elas proibidas ou não e fugimos mais uma vez do que realmente somos.

Fica difícil saber o que exatamente você é se você se acostumou tanto com a ideia de não saber o que é.

Ou você tá fingindo ser algo ou você simplesmente tá chapado demais pra lembrar do que é.

Há quem diga que a bebida por exemplo revela o verdadeiro eu da pessoa, não sei se essa afirmação é muito correta, acredito que a bebida é uma liberdade sim mas de forma um tanto distorcida como as demais drogas.

Porém não posso deixar de considerar essa ideia, é, why not?

Talvez a bebida por exemplo seja mesmo uma válvula de escape, por isso o consumo aumenta a cada dia. A gente se sente libertado de absolutamente tudo, inclusive dos nossos próprios problemas, o problema disso é viver chapado.

É desconfortante você por exemplo sentir que tá em alfa e ao mesmo tempo com os pés no chão. Tive essa sensação quando tomei um medicamento por uns tempos, dá um mal estar. Pelo menos pra mim deu.

Mas acredito que extravazar ainda seja a melhor forma de sair um pouco da rotina, afinal somos tão condicionados a nos comportar que não se comportar já é um tesão pra nossa mente.

Quer um teste? Farei um agora. Observe as imagens.

 

 

 

 

 

 

E você no trabalho, em casa, seja onde for, daria seu reino por uma dessas.

E ai, deu ou não vontade? Nem que você seja o maior nerd do mundo, um dia já deu vontade de se entupir de um desses “drinks da felicidade” nem que seja dentro da sua própria casa.

Merecemos poder fugir da realidade, fala a verdade.

E um dia bom para refletirmos a nossa existência mesmo é domingo, por isso é tão deprê, embora eu goste do domingo, é um dia em que posso fazer uma leitura esporádica, desenhar, fazer o que eu quero sem ninguém pra falar nada.

E nem preciso de bebida pra isso, domingo é tão hipster.

Um dia antes de dormir eu fiz uma teoria maluca, eu lembro que eu ainda era criança e parecia estar prevendo o futuro.

Pensei na minha inocência, que era muito triste as pessoas terem depressões e coisas do tipo, eu me sentia triste em pensar nisso pois tive um prova na família que esse tipo de situação mata.

Então eu pensei que se me envolvesse em algum tipo de ciência (naquela época eu nunca imaginava que seria humanas) eu ia querer criar um remédio da felicidade (HAUHAUHAUHUAH).

É! Afinal, a felicidade parecia tão distante da realidade que o remédio podia ter uma fórmula secreta de ser feliz, e ai todo mundo podia ser feliz.

Lógico que fui pensando mais sobre o assunto me desiludindo, porque de fato a felicidade plena era muito difícil de achar, como eu ia criar algo assim? Seria impossível. Mas ai eu pensei que alguém muito esperto faria isso e ia enriquecer muito com a ideia.

Pelo menos a vida das pessoas seria enriquecida também, de alguma forma.

Pelo visto não fui a única a pensar nisso (auahuahuahhahuah), seria a solução dos nossos problemas, na minha mera inocência.

Anúncios

5 pensamentos sobre “Eu tenho uma teoria: “Está chegando a sexta”

  1. Haha!

    Fantástico o texto. Concordo com quase tudo. Menos a parte do “nerd inveterado não bebe”. Eu nem sou tão nerd e não bebo absolutamente nada. Nada mesmo. Tá bom, confesso que sou excessivamente viciado em Coca-Cola. Como você disse: why not? =D

    Mas de fato, há tempos venho tentando transformar pedaços da minha semana em pequenos fins de semana. Tenho obtido relativo sucesso. O problema é que meu final de semana acabou virando pedaço da minha semana também. Emendou tudo! Hehehe…

    Parabéns e até mais! 😉

    • Well done! Apareça mais por aqui, gostei do seu comentário 😀
      Eu também confesso que não sinto falta tanto das bebidas alcoolicas quanto sinto de uma coca hahahaha
      Você certamente arranjou uma solução alternativa para a sua rotina, diluiu seus afazeres pelo visto, eu estou pensando seriamente em fazer isso quando eu estiver mais disponível.
      Eu acredito que utilizar de um dia da semana (o famoso “dia preto”) para uma atividade realmente prazerosa (quando eu digo realmente é algo que vc considera realmente mimar a si mesmo e não ver coisas esporádicas por ai como sei lá, ver TV que não acrescenta em nada a não ser entretenimento), enfim, vc mimar a si mesmo é uma ótima forma de tornar a semana menos massante.

      Sem dúvida um bom conselho para uma tentativa de vida inteligente com a rotina que nos mata.

  2. Eu gostaria muito de elogiar o que você escreveu. A sequência de ideias, o modo como vc expôs, tudo muito bom. Mas eu realmente não tô em condições de maiores comentários. Acabei percebendo sozinha que representamos todos os dias. Estou num estado de quase total desinteresse por esse business chamado “vida”.

  3. Ótimo texto. Faz tempo que tento não passar a semana ansioso pelo fim de semana, e o domingo triste por causa da segunda que chega, entendeu? Estou tentando manter um equilíbrio…Acho que a saída é intercalar na semana pequenos “prazeres” pra não condicionar a mente de que só na sexta, sábado e domingo é que podemos ser felizes!!!

    • Isso é bom, de certa forma saímos dessa ilusão que toda felicidade da vida está no fds ahuahuahua como dizem as malditas músicas de sertanejo universitário e.e

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s