Para fechar 2011, os 11 maiores furos que eu dei na vida.

Afinal, nem a crítica mais construtiva pode justificar a cagada, na realidade querer justificar é sempre pior.

1 – Soltei um infeliz “Feliz natal!”
e me responderam, “Eu sou ateu”
(…)

2 – Estava eu nos correios para enviar uma carta (ainda faço essas coisas românticazinhas), quando cliquei na primeira opção para retirar senha e virei para escrever uma carta.
Era um dia chuvoso, de meio de semana e considerando a cidade pequena, o correio estava deserto. Bom devia ter umas 3, ou 4 pessoas.

Conforme me virei para escrever o endereço meu número foi chamado, pensei “NOSSA! Que rapidez!”, desconfiei da agilidade mas deixei pra lá, quando cheguei para ser atendida o moço me olhou de cima a baixo, fiquei intrigada com a análise, entreguei a carta, paguei o que tinha que pagar quando ele não (se) aguentou e falou.

“Moça, por acaso você é gestante?”
E eu “Hum (será que eu engordei tanto assim?), não.”
Moço “Ah, então, você pegou senha pra gestante, sorte sua que o correio está vazio se não era bem capaz de você levar uma surra aqui”

Pensa naquela vontade de sumir. É, essa.

3 – Em 2008 eu fiz um daqueles cursinhos preparatórios para vestibular, o que eu mais fiz nesse cursinho foram amizades, e como queríamos nos conhecer mais, resolvemos marcar um churrasco que é o ‘cafézinho da tarde’ daqui do interior de São Paulo.

Um churrasco não é apenas uma carne assada, é um momento de interação, social, do qual se você recusa muito provavelmente está muito afim de fazer uma desfeita. Aqui na vida interiorana, churrasco é sinônimo de confraternização praticamente.
Chamei todo o pessoal para um churrasco que estávamos organizando, uma das meninas relutava em ir, insisti, e ela relutando, e eu insistindo (ela que era teimosa, não eu cofcof)
Depois de HORAS que eu praticamente briguei pra menina ir pro churrasco, já estava na minha casa deitada praticamente pronta pra dormir lembrei, ela era vegetariana.

Out!

Como fui me esquecer disso? Pior, ela ficou completamente sem graça pois notou que eu tava frustrada dela não participar, eu podia ter dormido sem lembrar disso.

4. Piadas de camioneiro, pedreiro, e afins, sempre faço com quem é filho de um.

5. Um belo dia, quando eu havia tomado aquela última dose que a gente nunca devia ter tomado, paguei a conta e tive uma espécie de “looping” mental, eu jurava que eu não havia pagado a bendita da conta, fui lá pagar de novo, e briguei com a garçonete que estava sendo bem honesta comigo em não deixar eu pagar de novo a conta.

Não sei se ela achou que eu estava testando ela, tentando fazer pegadinha, ou foi pura honestidade mesmo, mas a ressaca moral de ter tentado pagar duas vezes a conta e brigar ainda por isso foi terrível no dia seguinte.

6. Uma vez eu fiz uma piada sobre a cidade, falando da falta de estrutura daqui para eventos regionais, quando percebi, fiz a sátira como comentário no facebook do prefeito.
Eu desconfiei daqueles 50 ‘likes’ que eu ganhei, me senti tipo o Tiradentes, trocentos revolucionários no Brasil, um só mete a boca no trombone e se fode.

7. Uma vez eu estava falando com um cara sobre pessoas doidas, ele me contou de uma mulher completamente doida, muito divertida por sinal e soltou um ‘pena que ela morreu’, eu gargalhei, e ele ‘é sério’ e eu ‘nossa, mas tava na cara que ela ia morrer né’ ainda levando na brincadeira, e bom, ela morreu mesmo, eu não sei bem o que ele pensou de mim na hora, mas eu tava custando muito a acreditar que havia feito tantas cagadas falando de uma morta em tão pouco tempo.

E incrivelmente em pouco tempo eu repeti a dose, satirizei um morto em pleno facebook.
8. Eu odeio velórios, eu não se explicar mas o clima pesado de velório faz eu me sentir mal, e eu definitivamente detesto ir.
E sempre tem aquele parente que solta aquela pérola, em um velório que eu fui, eu vi uma senhora abraçando outra e falando “meus parabéns”, sabe (…) eu quando vi já tava assim

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA…*olha ao redor*
*percebe que todo mundo parou de conversar e olhou pra mim*
E tipo aqueles olhos vermelhos me encarando, com seriedade, me senti dentro de true blood.

~sai pra tomar um chá~

Eu tava extremamente triste com a situação, mas bem que dizem que é da tragédia que sai a comédia né.
Infelizmente minha risada foi mais trágica do que o erro da senhora.

9. Sabe quando você ouve uma música e saí dançando, interpretando o artista, cantando igual, fazendo pose, visualizando o palco, se sentindo a estrela? Eu VIVIA literalmente fazendo isso, não só em músicas mas eu recriava filmes, repetia cenas sozinha, eu adorava por um filme pra rodar e ficar ‘encenando’ ele enquanto via, falando as minhas falas favoritas por cima do ator, o que mostra que no fundo eu curto muito artes.

Um dia me pegaram fazendo isso, eu não sei explicar mas eu acredito que a sensação foi próxima daquele menininho que foi pego fazendo “sexo” com a boneca.

Dear God, ainda não bem que não existia youtube naquela época.

10. Um dia me pegaram fazendo algo bem pior e mais constrangedor, considerando minha sexualidade “abafada” feminina na época, foi realmente tenso. É isso mesmo que você tá pensando. De todos os momentos exposed meus, esse sem dúvida foi o pior.

11. Existe um problema em emagrecer e usar o biquini do verão passado.
Uma vez eu fiz um topless meio “espontâneo” num clube que eu frequentava, se fosse hoje em dia eu podia usar a desculpa de ser feminista errr…
O bom e “bonito” é que foi numa idade trágica, pra mim na época foi uma tragédia grega e eu tive vários pesadelos com a cena se repetindo, eu devia ter uns 12 anos, mal aceitava meus “peitinhos”, e eles serem expostos então foi muito trash, a sorte é que só um muleque de 9 anos presenciou a cena, mas menino como todo menino é malicioso de nascença, nem preciso dizer que ouvi uns comentários grotescos do pirralho ainda por cima.


Vergonha alheia, a gente vê por aqui.

Anúncios

5 pensamentos sobre “Para fechar 2011, os 11 maiores furos que eu dei na vida.

  1. Qual o problema de desejar feliz natal para um Ateu? Ele é tão preconceituoso que fica ofendido com isso?
    Eu recebo votos de feliz Hanukkah de Judeus mesmo não sendo judeu e não acho nada de errado.

  2. Eu estava presente na cena do churrasco… A cara da S. coitada, AHHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAAHHA!!!!!

    E eu concordo com a pessoa acima.

    Sobre os outros posts eu ri imaginando tu, Mariana! Tenho algo que discordo nisso tudo, mas não vou postar pois sinto que pode fazer vc se sentir pior rsrs, pelo que entendi da frase inicial. Bem que a gente fala que os furos da nossa vida ainda vão render livro. Postagem de blog já rendeu! hauhauahuahua!

    Adorei sair contigo antes de ontem! Té mais!

  3. Vivo pagando esse tipo de mico também, principalmente o da dar gargalhada em horas impróprias. Daí fica todo mundo me olhando com uma cara como se eu tivesse, sei lá, matado o Papa! haha Mas eu nem tô aí mais, sou meio desregrada mesmo e se isso me faz feliz, é o que importa.

  4. Que ateu mais mal humorado! Eu não acredito em papai noel e nem em coelinho da páscoa, e nem por isso deixo de desejar às pessoas um feliz natal ou feliz páscoa…

  5. UHAUAHUUAHAHUA
    Err seu blog tá todo pop agora, mas como mais antiga visitante u_u venho aqui novamente! ;D

    Adorei suas 11 tragédias ai! HUAUHAHUHUA
    Algumas eu conhecia, mas a maioria não e rachei aqui! xD

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s