Delírio

Não é de Deus, a dor de garganta, dói o corpo todo, você tem aquela sensação que tem uma lixa dentro da sua garganta indo e voltando enquanto você respira, fora que eu não sei as demais pessoas mas eu quando bebo água (que né, incolor, sem gosto e sem cheiro) eu sinto um gosto ruim demás por conta da garganta ferrada.

Hoje eu vivi um dia cheio de nostalgias, lembrei de coisas passadas, até demais, fiquei com o emocional abalado, sabe como essas menininhas disfaçadas de mulher são, uma música e sua vida desaba.

 

Mas uma coisa boa e que tem como voltar atrás (diferente da citada acima) foi Sakura Card Captors, eu baixei tudo de novo os episódios, fiquei tão alucinada em baixar que acabei baixando o mesmo episódios três, TRÊS vezes.

É incrível, é um desenho que me remete uma época boa, meus 10/11 anos, naquela época eu não sentia vontade de voltar no passado e tentar mudar certas coisas, minha preocupação era se eu ia aguentar ficar acordada nas maratonas de animes que tinham na cartoon e na nickelodeon.

 

E hoje basicamente meu dia foi assim, revivendo memórias que se um dia der uma pane no meu cérebro não tem backup que salve.

Uma vez li  que quando uma pessoa martela muito na sua cabeça a possibilidade dessa pessoa estar pensando em você também é alta.

Lembro que li isso no site da Super Interessante, eu acredito nessas forças psíquicas mas…

Será?

 

Talvez eu esteja pagando meus pecados também, na mesma moeda.

 

São tantas possibilidades, adoraria não pensar nelas.

 

Hoje aconteceu uma coisa curiosa que me inspirou o post e o nome dele, sempre que eu tenho febre eu tenho alucinações.

Não sei a real razão disso, deve ter sido pelo medicamento pesado que tive que tomar em fase de crescimento, mas minhas febres me fazem alucinar, delirar ou enfim.

 

Hoje eu tive alucinação com uma pessoa que eu conheço, eu vi ela claramente ali no meu quarto com uma carta enorme, curiosamente com três folhas coladas uma na outra, como se a carta fosse um “mapa”, um mapa de palavras, falando assim parece absurdo, mas eu vendo isso tornava a coisa convincente e “normal”.

 

Eu conversei com ela, perguntei como ela tinha entrado ali e o que estava fazendo, ela não tirou os olhos da tal carta e me respondeu que estava esperando eu melhorar pra gente dar uma volta.

Dei risada e falei que pelo visto eu não ia melhorar tão rapidamente.

 

Ela finalmente me olho e sorriu, falou que tudo bem, que ela voltaria em outra hora já que pelo visto eu estava mal mesmo e precisando de um tempo, ai ela saiu do meu quarto com a tal carta, bem entretida nela.

 

Foi quando eu de fato “acordei”, as aspas estão ai porque eu já estava acordada, mas as coisas ficaram lúcidas, minha mãe estava do lado de fora da casa, mas em frente a janela do meu quarto (a janela do meu quarto dá para a garagem, onde ela estava).

Não sei se ela ouviu toda a conversa, mas ela certamente deve ter achado estranho se ouviu, ou achado que eu estava no celular.

 

Isso mexeu comigo, porque por mais que seja fruto da minha mente, parece ter uma mensagem nas entrelinhas do fato, nem que seja do meu próprio subconsciente.

 

 

 

Anúncios

4 pensamentos sobre “Delírio

      • HAUAUHUAHAUH ‘a idéia!’ nossa realmente, ficou meio cena de inception
        ainda bem que a febre e os momentos deprês baixaram, aliás, estou sentindo sua falta no msn :3
        obg pelos coments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s