Holiday

Tem uma coisa muito difícil de acontecer, é eu acordar de mau humor, hoje por exemplo, eu acordei com um belo humor, afinal é HOLIDAY, tanana, celebrate! Como cantaria a Madonna.

Tudo bem que pra quem vai trabalhar amanhã tanto faz, tanto fez, é tudo a mesma porcaria né @lilahcunha

Coitada, as pessoas tem que ser muito coração de gengibre pra fazerem os outros trabalharem em uma sexta depois do feriado.

Tudo bem que eu nasci em um 16 de novembro (ahuhauhauhauhuahua), tirei a minha mãe depois da proclamação da república de casa, exatos 100 anos (e um dia) depois.

Voltando, aqui em taqua o povo que é escravo do comércio tem que trabalhar se bobear até quando morre um parente, os coitados do comércio são mais ou menos assim.

“Emprego: Balconista

Função: Atender os clientes, limpar a loja, organizar tudo, fazer o cafézinho, pagar as contas do patrão (literalmente, ir no banco/lotérica e pagar), fazer o trabalho de “Relatividade da Simultaneidade” pra filha do patrão, fazer tudo que seu patrão devia fazer mas ele te paga pra fazer pra ele (Mentira! Ele só paga pra você ficar no balcão, mas ou você faz tudo ou você perde o emprego).”

E as pessoas reclamam que só os estagiários sofrem, quem trabalha no comércio é um estagiário com um salário levemente maior e “eternizado” no papel de macaco gordo (quebrando vários galhos).

O trabalhador do comércio é eternamente a Angélica da Globo sabe?

Pode ver, falta alguém pra apresentar o criança esperança, eles põe a Angélica, tem programa sem graça com entrevista com os artistas, ninguém se propôs a ser o apresentador, ah põe a Angélica, pelo menos ela é gatjenha né?

Se faltar alguém pra desentupir a privada, pode crer que eles chamam a Angélica (ou a @ary_chan e suas técnicas ninjas com soda cáustica), e ainda fazem um programa “Desentupindo privada das celebridades (um papo aberto com a intimidade das estrelas)” cheio de merchan de produtos de limpeza.

Quer dizer, eu tenho medo daquela barata na perna dela, todo mundo acha sexy mas eu tenho medo.

E só o servidor público que geralmente tem um desconto nesses feriados aqui, a não ser que você seja MUITO azarado (tipo @lilahcunha [2])

Ou que você seja que nem eu, que não tem férias, que seus irmãos abrem a porta do seu quarto e falam “Abre o oioo tata” sério, é engraçadinho mas tem dias que é estressante.

Aliás segundo o site da superinteressante o choro de nenem é o barulho mais irritante do mundo, eu sempre soube disso, sou estudada no assunto, meu irmão chorou (e gritou) um ano, toda a noite, sem parar.

E ainda tinha gente que falava “ai como você tá estressada”, really, eu mais que todo mundo sabia muito bem que eu tava estressada PRA VALER, não precisava de ninguém pra me avisar não.

Aliás essas coisas que ninguém precisa te avisar que você obviamente já sabe são dignas de dar um soco na cara da pessoa né?

Tipo “Nossa o que aconteceu com o seu cabelo?”

“Você deu uma engordada hein?”

*caí alguma coisa* “Ah olha cuidado pra não derrubar”

“AII!” “Cuidado que esse aparelho tá dando choque”

Merece ou não um “nocaute”?

Em todos os contextos ai, principalmente o do cabelo e o de ter engordado a primeira pessoa a notar é você, você sente a roupa mais apertada e tudo mais, você saí de casa sabendo que o cabelo não ficou legal do jeito que você queria, ninguém precisa ficar te avisando.

Agora já quando você emagrece é diferente, que seu cabelo tá legal é diferente, acho engraçado que falar pra alguém que essa pessoa emagreceu não é elogio, mas falar que engordou surta quase como uma ofensa do tipo “sua mãe é uma vadia” sabe?

Como disse o PC Siqueira, não é atoa que as meninas de hoje em dia vivem com baixa auto-estima, todas as garotas e mulheres tem que procurar se espelhar em alguma estranha da TV ou da mídia para se sentirem belas e bonitas.

Engraçado a inversão de valores das coisas hoje, você é o que você veste, o que você come e afins, e não o que você veste é o que você é, o que come você é o que…epa, perai er…enfim vocês entenderam.

Eu procuro tentar ser menos neurótica do que a maioria nessa questão, mas não adianta, a gente tem ambição sempre de ter algo que chamaria atenção das outras pessoas, eu por exemplo tava vendo umas pantufas no shopping de jabuka, que na boa, eu iria na faculdade com elas (HAUHUAHAHUHA)

Até combinei com o meu fiel companheiro de lá, o Henrique, que quando comprarmos as tais pantufas iremos na facul com elas.

A razão disso, pantufas tão legais não podiam simplesmente ficar em casa, a gente sempre compra algo pra mostrar pros outros e não só pra nós mesmos, sociedade do consumismo, da imagem, estudei em sociologia, aliás eu adorei estudar sociologia.

A que eu queria era essa

A que o Henrique queria era uma que era uma espécie de pé de urso (AUHUAHUAHUAH) muito assustadora.

Mas enfim, até o meu aniversário (que eu já contei) vai estar muito calor para pedir uma dessas de presente.

E por enquanto é só, como todo feriado, to mais “light” hoje, com aquela vontade de não fazer absolutamente nada (ficar morrida) mas sabendo que por fim vou ocupar meu tempo com alguma coisa.


Anúncios

Um pensamento sobre “Holiday

  1. Olha e aqui comentando ..adivinha de onde? adivinha??/

    do trabalho \o/

    – Fico espantada com a sua habilidade de abordar assuntos tão diferentes no mesmo texto..rs ( parece até eu conversando..) kkk

    Nhain.. obrigada pelos “créditos” *-* É tão legal ser “fonte inspiradora” dos textos de alguem xD hsaushaushaushua

    ve se acorda logo e fala comigo no msn! rãm rs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s