I have a dream….

Eu disse que faria outro, preciso externar minhas idéias, não que as pessoas precisem delas, mas me faz bem.

Não tem maneira mais clichê de iniciar um post sobre sonhos com o título de “I have a dream”, aliás mais clichê que isso só profile com descrição com citação de “Clarice Lispector” ou com “Quem se descreve se limita”.

Mas, quem sou eu pra dizer que as pessoas são clichês?

Eu adoro doritos com coca, eu adoro a  novela O Clone, adoro fotos de gatinhos fofos, adoro a maquiagem da avon, adoro all star, e lógico, adoro ABBA, esse I Have a Dream me remete mais ABBA do que o Martin Luther King, muito gay eu sei.

Enfim, podia fazer uma seleção de coisas clichês que eu adoro, mas ah, não agora.

Outra coisa (literalmente), banalizaram a Clarice. (A Lispector)

É tipo que nem aquelas adolescentes insuportáveis que nunca tiveram um namorado (lê-se pinto) e quando tem ficam falando o tempo todo da criatura, as vezes o menino é mesmo espetacular e muito legal mas a menina fala tanto que todo mundo passa a odiar automaticamente o cidadão. Tipo (leiam cantando) Everybody haaaates your boyfriiieeend.

É lógico, que quando convivemos com alguém passamos a falar muito dessa pessoa, mas falar o tempo todo é chato, você banaliza o coitado e o pessoal fica saturado da situação, é legal quando você fala que seu namorado fez algo bonitinho pra você, mas quando você joga AQUELE PODRE dele na roda, ai fica bem mais interessante.

A Clarice fico tipo assim, saturou sabe? Lembro da minha primeira leitura sobre Clarice, eu li o “A Hora da Estrela”, li pelo fato de ter uma prova sobre, não foi uma leitura “degustativa”, mas deu pra apreciar.

Convenhamos que a Clarice tem uma linguagem própria, você se perde na leitura mas ao mesmo tempo se encontra nas loucuras dela.

Mas de repente todo mundo é meio Clarice, de repente a Clarice que era algo de um patamar mais intelectual fico popular, e a gente sabe (pelo menos estudando história) que tudo que vira popular acaba dando errado sabe?

O povão sempre fode a coisa toda.

Não que a elite seja algo bom, mas o povão não é o oposto do ruim também não.

Coitada da Clarice, viro quase um senso comum da vida.

Detesto essa mania pós ditadura de valorizar DEMAIS tudo que é nacional, sempre sou criticada por não ser um exemplo de patriotismo, mas se você acha que viver em uma bolha nacional te torna melhor que eu, então tá, o Brasil não deixa de ser uma vergonha numa porção de coisas pelo seu patriotismo comovente.

Essa mania de patriotizar as coisas que fazem o Brasil ser uma grandes bostas, se tornar alheio do que acontece no mundo, e por mais que critiquem, a moda no Brasil é uma das únicas coisas que salva o Brasil do eterno atraso do sentido de saber o que acontece lá fora.

Afogar o povo no patriotismo, inventar heróis nacionais e afins não é uma forma de nos tornar mais brasileiros e sim de nos tornar cegos ao que acontece no mundo em que vivemos, exemplo: querem criar uma emissora da américa do sul, englobando todos os países, quem não concordou? Adivinha? Brasil-sil-sil, como se fosse RUIM saber o que acontece a nossa volta.

Afinal bom mesmo é assistir TV Fama onde a matéria principal é “ook, oook, atriz da globo fica TURBINAADA com nova prótese de silicone, CONFIRA”.

Afinal nos outros países não existe arte, não existe música, não existe cinema, não existem artistas, só existe economia e o resto é TUDO MODINHA né. Só no Brasil que não é.

Já por outro lado…

Esses dias andei me perguntando a razão de todos os dias eu sonhar que estou viajando e que me perco nessas viagens, a razão é mais do que óbvia, não, não estou perdida nas drogas nem na bebida, acho que talvez perdida na vida, mas a real razão é o fato de estar viajando todo dia, tudo bem, que essas viagens não são longas, mas estou indo a uma cidade diferente todos os dias, de domingo a domingo.

Viajar todo dia era uma coisa que eu sempre quis fazer, viajar de fato é algo que me atraí demais, mas nos meus planos de aventureira (uhuu) eu viajaria para cidades diferentes a cada semana, eu viajo para  mesma de segunda a sexta, e para outra de sábado a domingo, isso se não viajo a noite também para sair.

Esse negócio de viajar ta me deixando meio pirada, eu tenho sempre a sensação que vou ter que ir para uma cidade diferente e que eu vou me atrasar, sei lá a razão psicológica disso, mas eu tenho.

E isso ta refletindo nos meus sonhos, de alguma forma.

Ainda bem que as férias estão chegando, o que será que eu vou sonhar?

Já sonhei que a cidade inteira tinha virado zumbi e eu tinha umas armas MUITO DA HOORA, o sonho foi pura adrenalina (HUAHUAHUAHAHU).

Headshot pra todo lado, outra coisa é sonhar com merda, todo mundo sonha, tem gente que diz que é coisa boa, eu sinceramente nunca vi como algo bom, quer dizer, pelo menos em sonho não cheira né.

Coisa curiosa dos meus sonhos é que eu sempre me perco dentro da minha casa SUPER FAMILIAR que eu nunca vi, eu me sinto familiarizada com o ambiente, mas nunca vi ele, entro em quartos que são meus, e não são, que loucura.

E eu sempre procuro uma roupa e não acho, quantas vezes já sonhei que tava andando pelada na escola o.O

A sensação de vergonha era tipo, inexplicável, como tem gente que faz caminhadas de nudismo? Sério.

Sonhar com a Samara Morgan (d’O Chamado) também é uma constante na minha vida, eu já sonhei que ela saiu da capa do dvd em uma locadora, eu já sonhei que ela saiu da TV (classic), eu já sonhei que ela me perseguiu de MOTO, esse filme me traumatizou tanto que se um dia eu tiver alzheimer eu vou correr pelada na rua gritando que a Samara está me perseguindo. (Dois pesadelos da minha vida ao mesmo tempo).

Eu também já sonhei que eu morri e eu chorava muito no meu próprio enterro (HAUHUAHAHAUHAUHAUHAUHAUAHAHUAHAU) #dramaqueen

Foi muito triste, sério, eu chorava e falava “eu não queria ter morrido agora”, quando eu acordei foi como renascer.

É muito estranho acordar chorando, é meio Inception (o filme) , “The dream is real..”

Aliás esses dias eu dormi com o fone no ouvido, sensação gostosa, quando seu corpo desliga mas você continua ouvindo a música, a sensação é de dar aqueles descrições hippies, CÓSMICA sabe?

Apesar que eu não lembro de todas as músicas, mas lembro que estava rolando o CD do Passion Pit, mas lembro perfeitamente dessa tocando enquanto eu sonhava.

Casou perfeitamente com a situação, e quem precisa de erva xamânica pra viajar se já é viajado por natureza?

Não é o tipo de música que você põe pra ouvir com os amigos, naturalmente não, a não ser que seus amigos sejam atípicos como você.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s